O blog Em Casa, por Márcia Müller, publicou em nota: “Os pisos marcam época e guardam a história de uma casa. Quanto mais usado e gasto, mais eu gosto!

Se formos falar em tapetes, esses, além de registrarem uma época, contam histórias de verdade. Tapete entra e sai no contexto da história da casa, mas é impossível não associá-lo a um conforto visual e estético através do tempo.

É correto afirmar que, em climas frios, ele se adapta melhor, mas os tapetes finos, que geralmente são mais elegantes, também se comportam muito bem nos trópicos. Há quem diga que tapete em clima tropical úmido não é recomendado, mas, na verdade, o que não é recomendável são tapetes espessos altos e difíceis ou impossíveis de ser lavados.

Eu adoro tapetes de fibras naturais e com tingimentos vegetais – são sempre lindos e impossível de não acrescentar à casa uma elegância especial. Os tapetes de retalhos, tão atuais, superlavados e tingidos, são os recomendados para uma casa tropical. As cores são lindas: coloridas, alegres, e o visual do piso ganha um reforço.

A graça de uma casa colorida é a marca registrada de uma casa tropical; a luminosidade de fora está sempre presente.

loja Phenícia, entre RioSão Paulo, apresenta uma linda coleção de tapetes coloridos com tingimento vegetal e lindas tramas naturais. Mostro vários ambientes e, entre eles, um projeto meu para o Casa Cor SP, onde a cor no piso, dada pelos tapetes coloridos, aumenta o poder de sedução da ambiente.”

Fonte: blog Lu Lacerda, por Márcia Müller

http://lulacerda.ig.com.br/categoria/em-casa-por-marcia-muller-e-erick-figueira-de-mello/