O Morar Bem divulgou em matéria: “Sabe aquela pessoa impecavelmente bem-vestida, que impressiona pelas escolhas e combinações? Com a casa, a mesma coisa. De nada adianta comprar seda pura e não aplicar no lugar certo, ou ter um jacquard de grife e não usar a seu favor. — Antigamente, as pessoas entendiam mais de tecidos. De uns tempos pra cá, com os móveis prontos, elas pararam de se interessar por esse assunto. Hoje há uma vasta quantidade de opções, materiais, acabamentos para transformar toda a casa — explica Deny Barbosa, diretor comercial da Donatelli Tecidos. Para conhecer esse universo, o primeiro passo é pensar no que se quer revestir. Uma regra básica: — Em almofadas, por exemplo, não tem problema se o tecido for fino. Já para forração mobiliária, é necessário usar uma base mais encorpada e resistente — aponta Janaína Matias Amadori, gerente de marketing da Karsten. Segundo ponto importante: a escolha do tecido passa pelo estilo do ambiente. Para evitar erros, uma dica: — Tire uma foto do ambiente e, quando estiver na loja, cheque os tecidos disponíveis. Isso facilita bastante a visualização — acrescenta Janaína. Uma terceira questão essencial é observar o material de composição do tecido. Entre as fibras naturais e sintéticas, não há melhores ou piores, e sim as mais adequadas, as que resistirão melhor ao uso em área externa ou interna”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Morar Bem/Reportagem: Carol Scolforo/17/04/16