A Revista O Globo divulgou em reportagem: “Eram seis horas da manhã de uma segunda-feira quando o designer Rodrigo Calixto  recebeu a ligação de um senhor  português com a notícia. O sobrado de 1918 onde funciona sua Oficina Ethos, na Zona Portuária,  havia sido arrombado, informou o dono do estacionamento em frente. Ao chegar, Rodrigo, de 34 anos, viu o lugar revirado, dezenas de pontas de cigarro espalhadas, e começou a contabilizar o que havia sido roubado: computadores, HDs externos, impressoras,  tablets e muitas das ferramentas usadas para dar forma às peças de madeira da marca, que passeia entre o design e as artes plásticas. Na época, quatro meses atrás, Rodrigo e o sócio, o também designer Guilherme Sass, de 24 anos, chamaram a atenção em redes  sociais com uma campanha para tentar contornar o prejuízo, avaliado em cerca de R$ 25 mil. Os dois leiloaram gravuras assinadas por Rodrigo a um preço simbólico se comparado ao negociado nas galerias que o representa em Los Angeles e no Rio. — Vendemos 200 gravuras em menos de um mês. Foi o ponto de partida para dar a volta por cima — lembra Rodrigo, que já conseguiu equilibrar as finanças e recuperar boa parte das fotos e de outros arquivos que tinha no computador. A dupla ressalta que a hora é de olhar para frente e não alimentar as mazelas. Na oficina de dois andares, agora com portões de aço e câmeras de segurança, o assunto preferido do momento é um lote de madeira de demolição arrematado que virou xodó dos dois”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/ Revista O Globo/ Reportagem: Isabela Caban/ 18/08/13